Slider

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Bolinho de Fubá


Olá, Queridos e Queridas do meu coração!

Uma pena que a foto não exalta a beleza e gostosura desses bolinhos!
Essa é aquela receita perfeita para levar de lanche, para congelar ou para usar como massa coringa para rechear da maneira que desejar (pode incluir goiabada na massa, rechear com geleia depois de pronto ou utilizar uma cobertura gostosa, como essa cobertura de chocolate).

No dia seguinte após assados eles ficam um pouco secos, então levei de lanche acompanhado de pasta de amendoim. Combinou bastante e me remeteu as festas juninas. Fica de dica para o próximo mês! ;)


Bolinho de Fubá (vegano)

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, glúten, ovos e soja.

1/4 xícara (chá) de farinha de linhaça
1 xícara (chá) de fubá fino
1 xícara (chá) de açúcar demerara
3/4 xícara (chá) de farinha de arroz
1 colher (chá) de canela em pó
1/2 colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de leite de coco
1 colher (sopa) de fermento químico em pó

Observação: essa receita não vai óleo.

Misture todos os ingredientes deixando para misturar o fermento por último.
Distribua a massa em forminhas de cupcake untadas com óleo ou cobertas com forminhas de papel.
Asse em forno médio preaquecido (180 graus) por 25 minutos. Faça o teste do palito.

Se quiser, coloque goiabada picadinha na massa ou sirva recheado com geleia ou pasta de amendoim.


Com amor e bolinhos,

Monalisa Cavallaro

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Chocolate granulado caseiro

Olá, Queridos e Queridas!

Estava organizando meus arquivos e vi que algumas receitas publicadas nas redes sociais ainda não vieram para o blog! É o caso dessa receita de granulado caseiro que foi feita pela Márcia Ribeiro - a Marcinha, amiga muito fofa e cozinheira que trabalha comigo. 

A Marcinha se baseou no livro maravilhoso da Raiza Costa. Os granulados foram feitos para cobrir ovinhos de colher que fizemos na Páscoa e para esse fim ficaram perfeitos!
Como decoração de bolos também ficam ótimos! Já para brigadeiros não recomendo, ele vai acabar desmanchando. 

É um confeito açucarado, mas pelo menos não contém o restante dos itens artificiais que encontramos em confeitos industrializados. Eu adorei, achei bem fácil e principalmente: muito gostoso! Deu vontade de pegar uma colher e comer tudo, rs. 

Como essa receita foi postada no stories hoje teremos um formato diferente, a receita vem em fotos e tem um pequeno vídeo lá no final! :)

Chocolate granulado caseiro

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, lactose, glúten, ovos e soja.








Clique no play para ver como retirar do papel:



Com amor e confeitos,

Monalisa Cavallaro

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Pudim de pão


Olá, Queridos e Queridas!

Ai que saudade que eu estava de um pudimmm! :)
Eu tenho 9 receitas de pudim no blog, essa é a décima! Se você ainda não viu o pudim da Carol (mais famoso de todos!), pudim de chocolate, pudim de milho, pudim de claras, pudim de tapioca e tantos outros dá uma olhadinha aqui no índice de receitas doces (veja o título "Bolos cremosos, suflês e pudim"). ;)

A vontade de fazer esse pudim surgiu quando a Dona Ana, uma jovem senhora neta de italianos que trabalha comigo no restaurante, se ofereceu para fazer pudim de pão com os pães que acabam sobrando do nosso café da manhã dos funcionários. Ela já fez algumas vezes, é um pudim super elogiado que eu nunca tive a oportunidade de provar: é feito com a receita tradicional - com leite. :(

Como fiquei sabendo que ela iria fazer o pudim com antecedência pedi por favor para que ela fizesse pelo menos um pequenininho com leite vegetal para mim. Então combinamos o dia, eu fiquei de ensinar para ela como faz o leite de amêndoas e começamos a juntar os pães com muita expectativa para o dia do pudim.

E o dia chegou.

Com a maior empolgação separamos os ingredientes, escolhemos as formas e descemos para um setor separado apenas para fazer o pudim. 
O sonho acabou no momento que abrimos o saco dos pães: tudo mofado! Aconteceu um acidente e só percebemos quando o saco foi aberto! :(
Pensa no balde de água fria e na lombriga atiçada pedindo por pudim dentro da nossa barriga! Abortamos a missão, guardamos tudo e deixamos para a próxima!

Mas... obviamente eu não consegui aguardar. Fiz em casa e matei a vontade! Estou devendo levar uma forma apenas para compartilhar com o pessoal do trabalho, vou anotar na minha lista de pendências gastronômicas (que está cada vez maior!), rs.  

Quem fizer me conta se gostou e me marca nas fotos no Instagram! :) 


Pudim de Pão

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, sem soja. Contém ovos e glúten (porém pode ser feita em uma versão sem glutén, ver observação ao final da receita).

1 xícara de chá de leite de coco
1 xícara de chá de leite de aveia*
1 xícara de chá de água
3 pães franceses**
1 xícara de açúcar demerara
4 ovos
1 colher de sopa de óleo
2 colheres de chá de extrato de baunilha

5 colheres de sobremesa de açúcar demerara para caramelizar a forma

Inicie caramelizando a forma. Eu usei uma forma com furo no meio de 22 cm de diâmetro. Coloquei a forma diretamente na chama do fogão e fiquei virando levemente (segurando com a ajuda de um pano de prato para não me queimar) até que o açúcar dissolvesse completamente. Ou vocês podem fazer o caramelo em uma panela e jogar na forma. Reserve.

Aqueça o leite de coco, aveia e água até ficar morno. Pique os pães com as mãos e coloque dentro do recipiente com os leites. Deixe descansando até que os pães fiquem bem moles. 
Enquanto isso, abra os ovos e separe as claras das gemas. Então peneire as gemas. 
Coloque o açúcar, o óleo e o extrato de baunilha na mistura com os pães. Por último acrescente os ovos e bata com um mixer (ou passe tudo para o liquidificador e bata até ficar homogêneo). O leite não pode estar quente, senão corremos o risco de cozinhar os ovos, ok?

Coloque na forma de pudim caramelizada e asse em banho maria por aproximadamente 1 hora e 20 minutos - forno médio. O tempo de forno pode variar, o meu quando completou 1 hora ainda estava muito mole no centro, portanto fique de olho e para saber se está pronto dê uma leve sacudida na forma e verifique se a massa está firme. 

Deixe esfriar por pelo menos 3 horas na geladeira (eu fiz a noite e só desenformei na manhã seguinte). Aqueça o fundo da forma na chama do fogão para facilitar na hora de desenformar. 

Observação:
*É possível utilizar 2 xícaras de apenas um tipo de leite + 1 xícara de água ou 3 xícaras de apenas um tipo leite vegetal, se preferir. Celíacos, preparar o leite de aveia com aveia sem glúten.
**Celíacos: utilizem o equivalente em pão sem glúten.


Um beijo e um pedaço de pudim,

Monalisa Cavallaro

domingo, 29 de abril de 2018

Sonho Vegano



Olá, Queridos e Queridas do meu coração!


Como vocês estão? Espero que muito bem!

Eu ando com uma rotina insana de final de curso e por esse motivo estou sumida do blog. Mas sempre que possível apareço pelo Instagram e estou tentando fazer receitas para publicar pelo menos semanalmente aqui para vocês. 
Gostaria muito de saber qual tipo de receitas vocês estão precisando... salgada, doce, para o lanche, para o jantar... enfim, deixe a sua sugestão aqui! :)

Essa foi a primeira vez que fiz sonho em casa e a vontade surgiu a partir de uma experiência frustrada de comprar um sonho vegano em uma padaria da moda aqui em SP e não gostar. :( O sonho estava encharcado de óleo, muito massudo e com excesso de açúcar. Até pensei em fazer uma receita de sonho assado, mas o desejo pedia pelo tradicional, então me arrisquei na fritura. Com a ajuda de mamis, tudo deu certo no final. 

Esse fato só vez me relembrar como é bom preparar as coisas em casa. O blog começou por causa disso, em 2010 era muito difícil conseguir opções na rua e cada vez que eu ficava com vontade de comer alguma coisa tentava reproduzir em casa sem usar lactose. Com o tempo as opções foram aumentando (o que é muito bom), mas infelizmente não dá para confiar em qualquer estabelecimento ou marca (vocês viram o caso dessa empresa que dizia fabricar produtos sem leite, mas utilizava leite condensado?). É cada absurdo que fica difícil de acreditar!

Por isso, não percam a motivação de cozinhar e sejam seletivos com os restaurantes e marcas, gastem o precioso dinheiro de vocês com algo que valha a pena.


Sonho Vegano de Padaria
Fonte: meia receita e um tiquinho de nada adaptado da receita da Mussinha.

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, ovo e soja. Contém glúten.

Xícara medidora: 200 ml.

Massa:
2 xícaras de chá de farinha de trigo
2 colheres de sopa de açúcar demerara
1 pitada de sal
1/2 sachê de fermento biológico seco
100 ml de leite vegetal morno (usei leite de coco)
2 1/2 colheres de sopa de óleo

Misture os ingredientes secos e em seguida acrescente o leite vegetal e o óleo. Comece misturando com uma colher e depois misture com as mãos. Sove por aproximadamente 8 minutos, até a massa ficar bem lisa (força no braço e pode acreditar que vai dar certo, apesar de não parecer rs). 
Polvilhe farinha no fundo de uma tigela, coloque a massa, cubra com filme plástico e deixe crescendo em local quente por 45 minutos (foto abaixo do antes e depois do descanso da massa). 
Após o período de descanso divida a massa em porções (dividi em 9 bolinhas, mas é possível fazer mini sonhos caso prefira), faça bolinhas deixando a parte lisa para cima. Unte uma forma com óleo, polvilhe farinha e acomode a massa. De preferência, deixe em uma assadeira grande para que os sonhos cresçam sem encostar um nos outros (como aconteceu comigo, hehe). Envolva a assadeira com filme plástico e deixe crescer por 30 minutos (abaixo a foto do antes e depois).
Esquente uma panela com óleo, e se assim como eu você não tiver muita prática com fritura, pegue um pedacinho da massa de uma das bolinhas e coloque no óleo para ver se já está bom. Mantenha o óleo em fogo médio a baixo. Frite os sonhos, e deixe dourando bem para que o interior cozinhe completamente. Eu tive que pedir ajuda a mamis porque meu primeiro sonho ficou preto por fora e cru por dentro, rs. Abaixamos o fogo, ela fritou um sonho por vez, e esperamos esfriar antes de partir. Passe-os em uma mistura de açúcar de confeiteiro e canela e espere esfriar para partir.

Recheio:

Vocês podem usar: goiabada, brigadeiro sem leite, doce de leite vegetal, geleia, etc. Eu optei por um creme feito com leite de coco, estilo "creme de confeiteiro" só que na versão vegana. 

250 ml de leite de coco
2 colheres de sopa de amido de milho
1/4 xícara de chá de açúcar demerara (ou a gosto)
1 colher de chá de extrato de baunilha

Misture o amido de milho em um pouquinho do leite de coco e mexa até dissolver completamente. Coloque todos os ingredientes em uma panela e mexa até engrossar. Coloque em um prato, cubra com filme plástico e deixe na geladeira para esfriar.

Recheando: faça um corte nos sonhos sem abrir completamente. Se preferir, coloque o creme em um saco de confeitar e recheie (acho mais fácil dessa forma). Delicie-se! :)


Como vocês podem ver, eu não dividi as massas no mesmo tamanho hehe, mas como fritei uma por uma isso não fez muita diferença. Se vocês forem fritar mais de um sonho por vez, coloquem sonhos do mesmo tamanho para que todos fritem por igual. 


Sonho por dentro. :)


Grande beijo com muitos sonhos realizados,

Monalisa Cavallaro

domingo, 18 de março de 2018

Nhoque de Banana da Terra

 

Queridas e Queridos,

A receita de hoje é contribuição do Rafa, o Rafael Lagareiro, sous chefe da cozinha onde trabalho. Acompanho a trajetória do Rafa faz alguns anos, ele iniciou conosco como estagiário, foi efetivado, saiu para fazer cursos na Espanha e na Itália e tivemos a sorte de tê-lo de volta, agora merecidamente como sous chefe.

O restaurante onde trabalhamos é corporativo e de alta gastronomia. Seguimos a política de identificar em todas as preparações a presença de glúten e lactose, o que facilita demais a vida dos clientes, e eu também acabo sendo beneficiada de tabela. :)

As produções na cozinha estão cada dia mais incríveis, tenho a sorte de estar cercada de cozinheiros dedicados e que acima de tudo amam o que fazem. É realmente lindo de ser (e de comer)!
Todas as vezes que eles produzem opções diferentes sem lactose é uma alegria para mim! Foi o caso desse nhoque que além de não conter lactose também não tem glúten. O Rafa preparou com muito carinho para agregar as opções do buffet. Nem preciso dizer que foi sucesso!

Ele gentilmente nos cedeu a receita, então não percam tempo e façam para a família inteira!

Nhoque de Banana da Terra
Receita: Rafael Lagareiro

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, sem lactose, sem ovos, sem glúten, sem soja.

500g de banana da terra com casca
70g de amido de milho
70 ml de água
1 colher (chá) de urucum em pó
Sal a gosto
50ml de azeite de oliva
4 castanhas de caju ou castanha do pará

Coloque as bananas com casca em uma assadeira e asse em forno médio preaquecido (180 graus) por 10 - 15 minutos até a casca ficar escura e começar a rachar.
Retire a polpa da banana e bata no liquidificador ou amasse com um garfo se quiser uma aparência e textura mais rústica. Reserve.
Dilua o amido de milho na água.
Coloque o purê de banana em uma panela em fogo baixo, adicione o amido de milho diluído e acrescente o urucum e o sal. Mexa sem parar até que a mistura comece a soltar do fundo da panela (cerca de 10 minutos). Retire do fogo e deixe esfriar.
Vire a massa sobre uma bancada limpa e faça rolos de 1,5 cm aproximadamente. Corte em pedaços de 1,5 cm a 2 cm ou como achar do seu agrado.
Coloque o azeite em uma frigideira e deixe aquecer bem, quando estiver bem quente adicione os nhoques e deixe dourar levemente de ambos os lados.
Monte os nhoques no prato e finalize ralando as castanhas sobre o mesmo.

Rendimento: 6 porções.


Muito obrigada, Rafa!
Instagram: @rafael_lagareiro


Com amor e muito orgulho de gente que ama o que faz,

Monalisa Cavallaro


domingo, 11 de março de 2018

Muffins de Milho


Olá, Queridas e Queridos!

Demorei, mas voltei! Fazia um tempinho que não postava aqui no blog, mas em compensação estou sempre no Instagram, seja através de posts ou do stories. Se vocês ainda não me seguem por lá procure por @diariosemlactose. ;)

Esses muffins são uma fofurinha, macios e com um diferencial: os grãos de milho vão inteiros na receita. Vocês não tem noção de como é gostoso comê-los quente e encontrar um grãozinho aqui e outro ali no meio da massa. Acompanhados de um café fica uma dupla perfeita!

A massa é bem fofinha, porém um pouco quebradiça, por isso não aconselho fazer no formato de bolo, ok? Fica como uma sugestão para levar de lanche, dois deles já estão separados para ir comigo para o trabalho amanhã. :)

Provem e depois voltem aqui para me contar o que acharam! <3


Muffins de Milho
Fonte: ligeiramente adaptado do Sabor Perfeito.

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, lactose, ovo e soja. Contém glúten.

1 1/2 xícara (chá) de fubá (farinha de milho fina)
1 1/4 xícara (chá) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de amido de milho
1 colher (chá) de sal
5 colheres (sobremesa) de açúcar demerara
400 ml de leite de coco
1/4 xícara (chá) de óleo
1/2 lata de milho verde em conserva (escorrer e lavar os grãos em água corrente)
1 colher (sopa) de fermento químico em pó

Misture o fubá, a farinha de trigo, o amido de milho, o sal e o açúcar demerara.
Acrescente o leite de coco e o óleo, mexa até ficar homogêneo.
Por último, acrescente o milho e o fermento.
Unte uma forma de cupcakes com 12 cavidades com óleo. Divida a massa entre as cavidades e asse em forno médio preaquecido (180 graus) por aproximadamente 25 minutos - faça o teste do palito.

Rendimento: 12 unidades.

Observação: não recomendo assar em formato de bolo por ser uma massa quebradiça.


Com amor e muffins quentinhos,

Monalisa Cavallaro

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Divina Dieta


Olá, Queridas e Queridos!

Quando conheci a Divina Dieta, loja com a linha de produtos da APAE DE SÃO PAULO, fiquei tão encantada e vi um propósito tão grande que fiz questão de fazer um post completo para que vocês possam conhecer e usufruir.

Para quem não conhece, a APAE DE SÃO PAULO é uma Organização sem fins lucrativos que existe há 55 anos e que promove o diagnóstico, a prevenção e a inclusão da pessoa com Deficiência Intelectual. É pioneira no teste do pezinho no Brasil e possui o maior laboratório da América Latina em Serviço de Referência de Triagem Neonatal. 

Todos os produtos da divina Dieta têm baixo teor de proteínas, não contém glúten, leite, ovos e produtos de origem animal, tudo isso com o objetivo de atender um grande público com doenças metabólicas que precisam seguir dietas restritivas. 

Se vocês acham complicado lidar com a intolerância à lactose é porque ainda não viram como é lidar com a fenilcetonúria, leucinose, acidemia propiônica, defeitos do ciclo da ureia e algumas outras situações que precisam de um forte acompanhamento e dedicação no tratamento... e infelizmente não há opções no mercado para facilitar a vida dessas pessoas. Foi por isso que a Divina Dieta nasceu!

Além de ajudar esse público, outras pessoas também acabam sendo beneficiadas e é aí que nós entramos: os produtos são seguros para celíacos, intolerantes à lactose, veganos, alérgicos a proteína do leite de vaca e qualquer pessoa que queira consumir! :)

Visitei a APAE DE SÃO PAULO e conheci todas as dependências com a Luciana Rocha, Nutricionista comercial da Divina Dieta, a Camilla Horizonte do Marketing e Comunicação e a Mariana Ferra, Engenheira de alimentos, que me deram uma aula sobre o trabalho gigante que a APAE de SP exerce e a importância disso na vida de milhares de pessoas. 

Saí de lá com o coração vibrando e feliz, com muita vontade de ajudar e fazer o possível para que a Divina Dieta seja conhecida e apoiada, por isso me coloquei a disposição para ser parceira. Se vocês sentirem no coração, por favor, provem, divulguem e ajudem a disseminar esse trabalho tão importante que precisa de apoio para que possa ter continuidade!

Vamos as fotos para que vocês tenham uma noção do que eu estou falando... 

No site tem a relação de todos os produtos com as informações sobre ingredientes, peso, validade, tudo super organizado e explicado! Para acessar clique aqui.


ALERTA DE GOSTOSURA A PARTIR DE AGORA :)

Têm biscoitos e bolachas (inclusive a recheada de morango e chocolate) para a inclusão dos pequenos na escola. É tudo muito bonitinho e agradável de se ver, mas o melhor ainda é o sabor! É gostoso, não é aquele tipo de alimento restritivo insosso. Me surpreendi!


E a parte das guloseimas? Tem  moranguito, que é um chocolate com recheio de morango (primeira foto da esquerda), tem nhá benta, sorvete de chocolate e morango (que eu provei e parece mesmo um danoninho, enlouqueci!), tem outros sabores de sorbets, chocolate branco e preto, brigadeiro congelado para a inclusão nas festinhas e muito mais!


Os salgados, principalmente os congelados, é alucinante! Me arrependi de não ter levado uma bolsa térmica, mas estou para retornar e fazer meu estoque!
O meu biscoitinho preferido foi o de cebola, que é esse redondinho da foto da direita, tem salgado recheado com queijo vegano (primeira foto da esquerda que provei recém saído do forno quando estava visitando) e vejam só a salsicha (de beterraba) que coisa mais fofa!


Tem salgadinhos congelados para abastecer o freezer! Coxinha, kibe, calzone, hot dog, pastel...
E as opções de massa e pães?! Nhoque, macarrão, lasanha...
É uma variedade muito boa, levem uma bolsa térmica!


"Monalisa, eu querooooo! Aonde eu encontro?"

Loja Virtual
A Divina Dieta tem uma loja virtual que comercializa somente os produtos que não precisam de refrigeração. Para acessar, clique aqui.

Loja Física
Os produtos congelados são encontrados apenas na loja física na APAE DE SÃO PAULO.
Rua Loefgren, 2.109 Vila Clementino - próximo ao metrô Santa Cruz.
A loja fica dentro da APAE.
Eles precisam de apoio para que os produtos congelados comecem a ser comercializados na loja virtual também, por isso a importância de divulgar para as pessoas que possam se beneficiar desses produtos!

Telefone: (11) 5080-7070
E-mail: emporio@apaesp.org.br

Pontos de Venda
Existem alguns ponto de venda em São Paulo, verifiquem a relação completa clicando aqui.


Camilla Horizonte, Marketing e Comunicação, Eu :),  Mariana Ferra, Engenheira de Alimentos e Luciana Ferraz, Nutricionista comercial da Divina Dieta.
Muito obrigada, meninas, muito orgulho do trabalho de vocês!

Muito Obrigada Lygia Conde do Grupo CDI e Paula pelo carinho e prestatividade!

Acessem o site da APAE DE SÃO PAULO para conhecer o trabalho completo e a como é possível ajudar!

Com amor e muita fome depois de ver todas as fotos,

Monalisa Cavallaro

Observação: esse post NÃO é um publieditorial.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Flan de Pêssego


Queridos e Queridas!

Essa sobremesa surgiu quando me vi com 5 pêssegos imensos e maduros estragando na fruteira!
É algo muito simples que vocês podem fazer com a fruta que quiser, como por exemplo, manga, morango, abacaxi...

Usei o leite de arroz que é bem neutro, mas se desejarem pode utilizar outros tipos de "leite" vegetal, ok?


Flan de Pêssego

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, glúten, ovos e soja.

500 ml de leite de arroz
3 pêssegos maduros sem casca
2 colheres de sopa de açúcar demerara (ou a gosto)
1 sachê de gelatina incolor

Bata o leite de arroz, os pêssegos e o açúcar demerara até ficar homogêneo.
Misture a gelatina em 5 colheres de sopa de água e leve ao micro-ondas por 15 segundos, mexa até dissolver completamente. Coloque a gelatina na mistura batida anteriormente e bata novamente somente para misturar.
Coloque em taças individuais ou em um refratário grande. Deixe na geladeira até firmar.

Calda de pêssego

2 pêssegos maduros sem casca cortados em cubos
1/2 xícara de chá de água
1 colher de sopa de açúcar demerara (ou a gosto)

Leve ao fogo baixo e mexa por aproximadamente 10 minutos até a água reduzir um pouco e os pêssegos ficarem cozidos e desmanchando. Espere esfriar e coloque em cima do flan.


Com amor e sem desperdício,

Monalisa Cavallaro

domingo, 28 de janeiro de 2018

Bolo de Fubá com Calda de Limão


Olá, Queridos e Queridas!

A receita de hoje é um bolinho de fubá fofinho e neutro que vem acompanhado de uma dica muito bacana para quem adora praticidade.

Eu costumo assar bolos em forminhas de alumínio (da foto abaixo) que são facilmente encontradas em lojas de produtos para confeitaria. Essas formas vem com uma tampa de papelão que vedam como se fossem uma marmita e na parte de fora é possível marcar a caneta qual o conteúdo da embalagem e data de produção.

Então eu uso essas forminhas para transportar o bolo com mais facilidade e também para congelar. Essa receita rendeu 7 forminhas como essa. Coloquei calda de limão nos bolos que não congelei e aqueles que foram para o congelador não coloquei calda para que no dia de consumir eu coloque o que quiser (calda de limão, laranja, chocolate ou até mesmo comer puro).

Quando quero consumir, tiro do freezer diretamente para o forno preaquecido e deixo até esquentar. Aproveito para comer quente mesmo. :) Ou senão espero esfriar e guardo em um pote fechado para manter o frescor e levo de lanche no dia seguinte.  


Bolo de Fubá com Calda de Limão
Fonte: receita do site Serious Eat.

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, glúten e soja. Contém ovos.

1 xícara de chá de farinha de arroz
3/4 de xícara de chá de fubá (farinha de milho fina - verificar rótulo, algumas marcar podem conter glúten)
2 colheres de chá de fermento químico em pó
1 pitada de sal
5 ovos
1 xícara de chá de açúcar demerara
1/4 xícara de chá de óleo de girassol
1 colher de chá de extrato de baunilha

Misture em uma vasilha a farinha de arroz, o fubá, o fermento e o sal. Reserve.
Bata os ovos na batedeira ou com um mixer de mão por 1 minuto. Com a batedeira ligada acrescente o açúcar aos poucos e bata até ficar uma mistura cor amarelo clara bem fofinha. Ainda com a batedeira ligada acrescente a mistura de farinhas aos poucos e bata até ficar homogêneo. Acrescente o óleo e bata até incorporar completamente.
Despeje a massa em uma forma (unte com óleo) ou em forminhas de alumínio (não precisa untar). Asse em forno médio preaquecido (180 graus) por aproximadamente 30 minutos - faça o teste de palito. Em forminhas menores assam em menos tempo, fique de olho.

Obs. se fizer nas forminhas de alumínio coloque massa somente até a metade. Se encher demais o bolo vai crescer muito e a tampa não vai vedar direito. 

Calda de limão

Sumo de 1 limão grande
1/2 xícara de chá de água
2 colheres de sobremesa de açúcar demerara
Raspas do limão utilizado

Misture e leve ao fogo por 10 minutos. Jogue no bolo ainda quente e espalhe as raspas de limão por cima.


Com amor e praticidade,

Monalisa Cavallaro

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Petit four / Cookies de coco da Marcinha


Queridos e Queridas!

Quem me acompanha no Instagram (@diariosemlactose) viu que a Marcinha, uma das cozinheiras mais amorosas e fofas que já conheci e que trabalha comigo, fez um petit four sem glúten e sem lactose. Além de levar para eu provar, ela me deu a receita para publicar para vocês! 
O pessoal do Instagram teve a receita em primeira mão, então caso você ainda não me acompanhe por lá me siga agora para não perder nada! Publico algumas coisas no stories que não estão aqui no blog. #ficaadica <3

Marcinha, muito obrigada e um beijo no seu coração!


Petit four / Cookies de coco da Marcinha

Atenção alérgicos e intolerantes: receita sem leite, lactose, glúten e soja. Contém clara de ovo. 

3 claras
220g de açúcar de confeiteiro
150g de coco ralado
100g de farinha de castanha de caju
Coco ralado tostado para passar os cookies

Bata as claras em neve. Acrescente o açúcar de confeiteiro e bata mais até ficar um merengue firme.
Acrescente o coco ralado e a farinha de castanha de caju delicadamente. 
Coloque o coco tostado em um prato e jogue colheradas da massa em cima do coco. Envolva toda a massa com o coco tostado e coloque em uma assadeira untada com óleo (ou tapetinho de silicone).
Asse em forno médio até dourar (uns 10 minutos dependendo do forno, fique de olho!).

Para fazer petit four faça pequenininho e um pouco maior se quiser cookies.
Para fazer o coco tostado é só colocar o coco ralado em uma assadeira e deixar no forno até dourar. Mexa com uma colher a cada 5 minutos para dourar por igual.

Com amor e fofura,

Monalisa Cavallaro